Descubra como fazer a gestão do fluxo de caixa de maneira efetiva

Um empreendedor que não sabe exatamente o que entra e o que sai de dinheiro do seu caixa simplesmente fica impossibilitado de controlar adequadamente as finanças da sua empresa. O mapeamento das receitas e despesas é algo básico e indispensável para uma administração eficiente. Isso porque a gestão de fluxo de caixa, quando feita corretamente, fornece uma base de dados extremamente relevante para apoiar a tomada de decisões.

O empresário que realiza o fluxo de caixa consegue visualizar de maneira ampla como anda a saúde financeira do negócio. Isso significa identificar, por exemplo, que um determinado mês com potencial para excelentes números de faturamento, na verdade, produziu ganhos quase similares aos gastos.

Por essa razão, vamos explicar para você quais são as melhores práticas para gerenciar seu fluxo de caixa da melhor forma. Confira!

Entenda os diferentes tipos de fluxo de caixa

O primeiro passo para uma gestão de fluxo de caixa efetiva é conhecer quais são os tipos existentes. Veja:

Projetado

O fluxo de caixa projetado tem como objetivo, justamente, projetar as quantias que a empresa tem a receber e a pagar. Com ele, é possível prever a necessidade de capital de giro, o quanto o negócio pode vender, as receitas e despesas, a provisão de recursos para investimentos, entre outros pontos.

Para elaborar esse tipo de fluxo de caixa, você precisa considerar o histórico da organização, as tendências do mercado e cenários esperados para inflação e oscilações no custo dos insumos e demais despesas, como transporte, manutenção etc.

Operacional

O fluxo de caixa operacional representa o registro das transações financeiras que estão relacionadas exclusivamente à operação do empreendimento, como a compra de material. Aqui, você não deve considerar rendimentos de ativos, impostos, aquisição de imobilizados, entre outros gastos que não pertencem à operação.

Direto

O fluxo de caixa direto é parecido com o operacional. Mas, nesse caso, deve-se incluir os tributos, investimentos e a necessidade de capital de giro. Esse tipo faz o registro das operações financeiras sem nenhum desconto. Isto é, todas as movimentações são anotadas com o seu valor bruto, para que sirva como uma forma mais completa de controlar as finanças.

Indireto

Já o fluxo de caixa indireto diz respeito ao lucro e prejuízo apontados na Demonstração de Resultado do Exercício (DRE). Sua atualização é baseada em fatores econômicos, como amortizações e depreciações.

De investimentos

Depois que todos os gastos e custos da organização forem deduzidos, a quantia que sobra é usada para compor o fluxo de caixa de investimentos. Ele deve considerar o dinheiro que foi utilizado com a compra de máquinas, gastos de capital e o que entrou na conta pela venda de ativos. Analisar esses números possibilita enxergar mais claramente se sobrarão recursos para investir.

Livre

O fluxo de caixa livre é referente ao que sobra no caixa após as deduções e os pagamentos contábeis. Se você precisa fazer qualquer tipo de estimativa financeira ou valorar uma empresa, essa é a melhor maneira, visto que esse tipo de fluxo de caixa mostra a capacidade que o negócio tem quanto à distribuição de dividendos. Ele mede o potencial da organização em gerar capital em longo, médio e curto prazo.

Separe categorias

Para compreender exatamente como o dinheiro da sua empresa está sendo gasto e de onde estão vindo as receitas, você precisa dividir os lançamentos do seu fluxo de caixa em categorias. Atente-se apenas ao fato de que essa categorização precisa ser pertinente ao seu tipo de negócio, sendo que o objetivo da divisão é gerar informação relevante para a tomada de decisão.

Algumas categorias básicas são:

  • receitas/entradas;
  • custos;
  • despesas;
  • investimentos;
  • financiamentos.

Cadastre as contas a pagar e a receber

Depois de estruturar as categorias do seu fluxo de caixa, chegou a hora de cadastrar todas as contas a pagar e a receber. Se você acha que aquelas despesas de menor valor não precisam ser registradas, pois são muito pequenas e não farão diferença, está muito enganado.

O resultado do seu fluxo de caixa precisa bater exatamente com o saldo da sua conta corrente empresarial. Por isso, nada pode ficar de fora. Além do mais, esses pequenos gastos somados podem representar um valor considerável no final do mês. Só com o mapeamento correto você será capaz de perceber se isso está ou não acontecendo. A mesma coisa serve para as vendas.

Crie uma rotina

Para que você não deixe de fazer esse monitoramento e registro de todas as transações financeiras do seu empreendimento, nossa dica é criar uma rotina para a tarefa. Pode ser todos os dias pela manhã, ou no final do expediente. Dependendo do volume de movimentação do seu caixa, você pode até fazer isso a cada dois dias. Avalie a sua rotina e inclua essa atividade nos seus afazeres.

Analise resultados

De nada adianta se empenhar na estruturação e anotações do seu fluxo de caixa se não parar para analisar os resultados obtidos. Afinal, você conhece o seu negócio melhor do que ninguém. Por isso, é a pessoa ideal para estudar e interpretar o que aqueles números querem dizer.

Você pode perceber que precisa reduzir gastos, ou que a venda de um determinado produto ou serviço está indo melhor do que esperava e, portanto, deve investir em mais divulgação para aproveitar o bom desempenho.

Conte com aplicativos para ajudar

Quando você opta por utilizar aplicativos para o mapeamento dos pagamentos empresariais, ganha produtividade nas suas atividades diárias estratégicas.

Ser um pequeno empreendedor não é fácil, pois sobra trabalho e falta mão de obra. Por isso, é preciso otimizar seu tempo e automatizar tudo o que for possível. Só assim você conseguirá focar no planejamento estratégico do seu negócio.

A gestão de fluxo de caixa é responsável por auxiliar o desenvolvimento da sua empresa, mostrando como está a saúde financeira da organização e embasando decisões mais acertadas.

Quer saber mais sobre gerenciamento financeiro empresarial? Assine nossa newsletter e não perca nenhum conteúdo.

Conheça 5 maneiras eficazes de como reduzir custos na empresa

O controle das finanças é fundamental para um negócio manter a saúde financeira, prosperando e expandindo suas operações de forma sustentável. Uma parte importante desse processo é encontrar maneiras de como reduzir custos na empresa.

Isso porque, muitas vezes, as vendas estão indo bem, mas os gastos estão excessivos, fazendo com que a rentabilidade seja prejudicada. Portanto, o empreendedor deve sempre estar atento a como os recursos estão sendo empregados.

Só não vale cair no erro de querer cortar despesas que impactarão negativamente na qualidade do seu produto, serviço e atendimento ao cliente, pois essa será uma economia nada inteligente. Leia este post e conheça 5 maneiras eficazes de reduzir custos na empresa.

1. Estimule a cultura da economia

Procure realizar campanhas internas para incentivar os colaboradores a evitar desperdícios. Já a organização também tem o seu papel nessa tarefa, como eliminar o uso de copos descartáveis, oferecendo opções alternativas e sustentáveis, como uma caneca personalizada para o funcionário.

Outra dica para mostrar o comprometimento da companhia em economizar, disseminando essa prática aos colaboradores, é ligar o ar-condicionado apenas nos períodos mais quentes do dia. Quando possível, abra as janelas e deixe o ar fresco entrar.

2. Otimize o tempo da equipe

Otimizar o tempo do seu time significa usar com mais sabedoria os recursos que você tem. Para isso, é fundamental identificar tarefas que prejudiquem a produtividade das áreas.

3. Busque profissionais qualificados

Não confunda corte de gastos com demissões. Sabemos que uma das maiores despesas de uma empresa costuma ser a folha de pagamento, mas essa redução pode não ser a melhor solução. Afinal de contas, demitir um funcionário também traz custos para o empreendimento, que podem ser bem altos em alguns casos.

Além disso, ter um número inferior ao necessário de empregados pode impactar na qualidade do atendimento ao cliente e na entrega dos produtos e serviços, o que prejudicará as vendas e, consequentemente, fará seu faturamento cair. Ou seja, a economia pode virar um prejuízo. Por essa razão, ao contratar alguém, foque sempre na qualificação desse profissional, identifique se ele possui as habilidades e competências alinhadas ao seu negócio e, o mais importante, faça com que ele se sinta valorizado e essencial para o sucesso da organização.

4. Deixe os processos mais ágeis

Você pode ter os profissionais mais qualificados trabalhando com você, mas se eles não tiverem as ferramentas adequadas para desempenharem suas funções, perderão tempo com tarefas pouco produtivas.

Então, se sua empresa quer reduzir custos, é preciso achar maneiras de otimizar processos, trazendo mais agilidade e dinamismo à rotina do negócio. Existem diversas plataformas no mercado para automatizar procedimentos, seja para prospectar clientes, aumentar o banco de dados com novos leads, acompanhar as vendas ou fazer a gestão financeira.

5. Automatize a gestão financeira

Use a tecnologia a seu favor, pois ela é uma grande aliada de qualquer empresário. Isso deve ser feito especialmente no departamento financeiro, pois o setor possui muitas transações, como o registro das entradas e saídas, o pagamento das contas, entre outras. Procure, por exemplo, automatizar a quitação dos boletos, tornando essa tarefa mais simples e rápida, além de reduzir erros e prejuízos com o atraso nos pagamentos.

Sabemos que diminuir os gastos de um negócio não é algo fácil. Por isso, faça com que todos os seus colaboradores vistam a camisa dessa nova política. Caso você encontre resistência no seu time, faça-os compreender que o corte de despesas também tem como objetivo ampliar a margem de lucro e aumentar as compensações.

Agora que você já conhece as melhores dicas de como reduzir custos na empresa, compartilhe esses ensinamentos com seus amigos em suas redes sociais!

Os 7 melhores aplicativos para controle financeiro que vão ajudar você

Os aplicativos para controle financeiro são plataformas utilizadas para organizar receitas e despesas, sejam elas da sua vida pessoal ou da sua empresa.

Com a correria do dia a dia, pode ser bastante desafiador controlar seu dinheiro, mas a saúde financeira pessoal e empresarial depende disso. Afinal de contas, para traçar e, principalmente, seguir um planejamento monetário, é preciso entender como você gasta seus recursos.

Quer mais assertividade na análise de seus gastos e ganhos? Então, confira 7 aplicativos para controle financeiro que separamos para você.

1. Wisecash

Esse é um dos aplicativos mais simples que você vai encontrar na lista. Porém, o ponto forte do Wisecash é, justamente, ser bem básico e fácil de usar.

O Wisecash permite o registro dos gastos e ganhos, proporcionando uma visão simples para gerenciar a vida financeira. Ele tem a navegação bem intuitiva, seu layout é agradável e a interface não tem nenhuma complicação. Para entregar ao usuário a facilidade que esse aplicativo promete, o procedimento para registro é rápido. Você só precisa preencher alguns dados para cadastro.

Feito isso, o app disponibilizará as seguintes configurações:

  • dinheiro;
  • cartão de crédito;
  • poupança;
  • conta corrente.

Esse aplicativo para controle financeiro não custa nada e está disponível no Google Play, apenas para smartphones com sistema operacional Android. Mas, se você tem Iphone, não desanime que temos abaixo outras dicas incríveis.

2. Mobills

Uma das grandes vantagens do Mobills é poder salvar as informações do app na nuvem, o que permite visualizá-las também através do computador. Além do mais, a plataforma tem um sistema para controlar as suas entradas e saídas de dinheiro, possibilitando que você crie categorias.

Na versão gratuita do aplicativo, o mais legal é fazer o cadastro de um cartão de crédito, para inserir os gastos e realizar o acompanhamento da sua fatura. Inclusive, o Mobills lembra o dia de pagar seu cartão. Ao cadastrar a data de fechamento da conta, automaticamente, ele lança as despesas para o dia correto de pagamento.

Esse é um dos aplicativos para controle financeiro mais bem avaliados da Google Play, que também possui uma versão para iOS, na App Store.

3. Money Lover

O Money Lover é um app bastante completo. Ele estrutura seu orçamento mensal em categorias, favorecendo a organização das suas finanças de uma maneira bem simples. Já existem algumas categorias prontas no aplicativo, mas você também pode criar novas de acordo com sua necessidade.

Esse aplicativo tem uma interface acessível e descomplicada para você enxergar os seus gastos com clareza. O Money Lover tem versão para Android e iOS de forma gratuita. Além disso, com a assinatura premium, você tem acesso a funcionalidades extras, como exportar as movimentações financeiras para Excel e suporte da equipe técnica.

4. Contas Online

A solução funciona como um controle financeiro pessoal e também possui uma versão paga e outra gratuita. O Contas Online permite que seja feito um estudo completo das despesas e receitas, para você traçar o melhor plano para alcançar seus objetivos.

O app conta com o certificado SSL, garantindo a segurança de todos os seus dados. Essa é a mesma tecnologia que os melhores e-commerces e todos os bancos utilizam.

5. Finance

Se você ainda não está acostumado com o controle dos seus gastos pessoais, o Finance pode ser uma ótima opção para começar a organizar as suas finanças. Trata-se de um aplicativo bastante básico, mas com todas as funcionalidades de que um iniciante necessita.

Para facilitar seu planejamento financeiro, o Finance gera um gráfico com seus gastos e recebimentos ao final de todos os meses. Ele tem versões gratuita e paga (Pro) para Android e iOS.

6. Controlle

O Controlle é um ótimo gerenciador financeiro para você e para sua empresa. Assim, fica mais fácil acompanhar a mensuração do que entra e sai do caixa. Esse aplicativo é bastante intuitivo, e suas informações podem ser acessadas via smartphone ou pelo site.

O app funciona mesmo sem internet. Com apenas um clique, você já faz o lançamento de um gasto, ganho ou transferência. Todos os meses, você terá o demonstrativo dessas movimentações.

Outras funcionalidades bem bacanas são a possibilidade de anexar documentos nas transações, a marcação de um pagamento liquidado com um clique e o acesso a várias contas diferentes, sendo que você consegue ver o saldo consolidado de todas elas.

7. Tilix

O app tem como objetivo principal ajudar você a aproveitar os momentos da vida que realmente importam. Essa plataforma faz com que você evite prejuízos com pagamento de multas e juros por atraso na quitação dos seus boletos, automatizando e organizando as suas contas a pagar. Ou seja, tudo isso ficará muito mais organizado.

O Tilix faz a gestão dos títulos que você ou a sua empresa devem liquidar, dando muito mais agilidade ao gerenciamento das despesas. O aplicativo tem o usuário como o centro de tudo. Essa premissa é a base para que a solução tão diferenciada fosse criada.

Basta sincronizar seus e-mails e o app faz o trabalho de reunir tudo de maneira automática. Se você quer um app simples e fácil de usar, pode optar pelo Tilix.

O seu tempo é o que você tem de mais valioso na vida. Se você concorda com essa afirmação, precisa testar a plataforma que, entre os aplicativos para controle financeiro, é a que mais facilitará o seu dia a dia.

Acesse o site do Tilix agora mesmo e experimente eliminar a burocracia para resolver suas contas.