Como controlar as finanças: 5 hábitos que você precisa mudar

Para progredir e fazer planos é preciso arrumar a base, saber o equilíbrio exato entre o que é gasto e recebido e entender como controlar as finanças pessoais.

Despesas acumuladas e fora do controle não só prejudicam o bolso do indivíduo como também podem afetá-lo emocionalmente e impedir que ele agarre oportunidades de investimentos em sua área.

Por esse motivo, alguns hábitos precisam ser cortados para que o controle seja estabelecido. Quer saber se você tem alguns desses costumes e como acabar com eles? Leia mais.

1. Gastar descontroladamente e sem estabelecer prioridades

A receita adquirida no trabalho exige esforço e, na maioria das vezes, para compensar tudo isso, as pessoas compram e usam serviços sem pensar em quais são suas prioridades para aquele dinheiro no momento.

E isso é um dos grandes pontos que impedem o planejamento do futuro.

Como planejar a aquisição de um patrimônio se o dinheiro que sobra é investido sem critérios? Uma boa maneira de cortar esse hábito é estabelecer metas e reparti-las em objetivos menores, dando direcionamento aos gastos.

2. Não fazer um controle por planilha ou aplicativo financeiro

Outro hábito e reclamação de muitas pessoas é que elas não percebem suas remunerações se esgotando. Felizmente, para resolver isso é bem simples: basta utilizar um mecanismo que permita anotar as despesas diariamente, seja em um caderninho, uma planilha ou aplicativos, tudo depende de qual deles será mais fácil de ser administrado.

Outra dica interessante também é aderir soluções tecnológicas que otimizem o controle e pagamentos de boletos, seja da empresa, seja pessoal.

3. Desconsiderar as taxas bancárias e de cartões de crédito

Se o saldo está no azul, está tudo certo! Na verdade, esse é o pensamento de muitos indivíduos que, mais uma vez, reclamam de não conseguirem poupar no final do mês.

A raiz do problema pode estar nas taxas bancárias e dos cartões de crédito que são pagas, mas que poderiam ser bem menores — principalmente se o rotativo da conta-corrente e do cartão forem utilizados.

Para corrigir essa falta de controle, é preciso analisar o pacote de serviços incluso nas contas bancárias e dos produtos rotativos. Atualmente, existem bancos que não cobram anuidade e que ofereçam pacotes de serviços personalizados, basta reunir comprovantes da movimentação financeira e buscar uma instituição que ofereça uma proposta mais condizente com seu perfil.

4. Deixar para começar as reservas financeiras mais tarde

Controlar as finanças pode significar otimizar as despesas para investimentos mais sábios.

Ou seja, não se trata apenas de cortar despesas, afinal, muitas vezes elas são necessárias para o crescimento de patrimônio. O objetivo é fazer com que todas elas tenham uma razão dentro do planejamento definido.

Isso garantirá uma margem mensal para a realização de investimentos, seja para criar uma poupança emergencial, seja para o planejamento da aposentadoria.

O problema é que, na maioria das vezes, os profissionais postergam essa atitude por acharem que a aposentadoria está muito longe.

E uma boa dica para eliminar esse pensamento é estimar quantos serão seus gastos na aposentadoria e comparar com o teto da aposentadoria atual. O choque de realidade fará com que a consciência financeira seja estabelecida.

5. Não admitir que precisa aprender como controlar as finanças

A negação de um problema é um dos velhos hábitos que devem ser extintos, especialmente quando o assunto é as finanças pessoais. Todo mundo precisa aprender ou atualizar seus conhecimentos sobre finanças, afinal de contas, o mercado financeiro também está em constante evolução.

Vemos processos de desbancarização, a entrada dos Bitcoins como moeda de comercialização e outras tantas mudanças que mexem com as cotações, valores e, claro, mudam as ferramentas e formas de fazer negócios.

Saber como controlar as finanças também garante que o empreendedor ou investidor tenha tranquilidade para focar em assuntos profissionais e pessoais, com uma preocupação a menos para lidar em conjunto.

Depois de saber como controlar as finanças, vale a pena buscar soluções para otimizar seus ganhos. E para isso, temos dicas também. Então, continue sua leitura descobrindo como otimizar sua produtividade.

Aprenda a fazer um fechamento de caixa eficiente para sua empresa

O fechamento de caixa impacta diretamente na qualidade de gestão do seu negócio. Afinal, a saúde financeira da sua empresa depende do controle das entradas e saídas diárias.

Ao dedicar a devida atenção para essa tarefa, adotando boas práticas administrativas, você terá menos chance de passar por problemas financeiros.

Por isso, neste post, vamos explicar como melhorar o fechamento de caixa de sua empresa, tornando essa atividade mais eficiente. Leia, para depois colocar essas dicas em prática.

Como fazer um fechamento de caixa eficiente

Saiba qual é o saldo inicial do caixa

Quando o caixa é aberto, a primeira coisa a fazer é dar entrada no valor inicial de reserva, que também leva o nome de fundo de caixa (suprimento).

É uma soma baixa de dinheiro, composta tanto por cédulas como por moedas. A função desse valor inicial de reserva é servir como troco para o operador do caixa. Esses recursos também podem ser usados para o pagamento de pequenos gastos ao longo do período.

Registre todas as entradas e saídas

O seu controle jamais funcionará como deve se você deixar de anotar tudo o que entra e sai do caixa. Isso porque qualquer pequeno pagamento ou um retorno que seja esquecido já basta para que a quantia final de recursos do seu caixa não fique de acordo com as anotações.

Outra prática não recomendada é fazer o pagamento de uma fatura com recursos da conta bancária e, no lançamento, cadastrar essa despesa como saída do caixa. Nesse caso, o fechamento acusará uma grande diferença em dinheiro e você não vai entender como isso aconteceu.

Por essa razão, seja cuidadoso ao lançar qualquer tipo de transação referente ao caixa. Não se esqueça de que, quanto mais precisos forem os registros, maior será a chance de saber, de modo exato, tudo o que foi pago e recebido.

Realize o fechamento por operador

As empresas que ficam muitas horas abertas precisam que seu caixa seja aberto e fechado mais de uma vez ao dia. Nessas situações, é normal que aconteça troca de turnos de funcionários e, consequentemente, dos operadores de caixa.A fim de impedir que aconteça qualquer tipo de problema em relação à identificação de erros e levantamento das responsabilidades de cada um dos operadores, a melhor prática é o fechamento e nova abertura do caixa toda vez que eles forem trocados.

Caso o seu negócio não tenha essa alternância de operadores na rotina diária, ou para empresas que tem só um operador, é preciso ter o cuidado em dispor de um registro formal de quem realizou o controle do caixa em determinado dia.

Ainda nessas anotações, é fundamental que sejam relacionados os horários de abertura e fechamento, e todas as quantias que forem equivalentes a cada uma dessas movimentações.

Essas providências têm o objetivo de assegurar que a sua empresa tenha controle da situação financeira a todo momento.

Como você acabou de ler, para fazer um fechamento de caixa eficiente basta incorporar algumas ações simples na rotina diária do negócio. Agora, é só colocar a mão na massa e implementar essas boas práticas em sua organização.

Siga nossa página no Facebook para acessar mais dicas sobre gestão empresarial.