Confira dicas para fazer uma boa organização financeira empresarial

A organização financeira empresarial é imprescindível para que o empreendedor seja capaz de controlar os recursos do seu negócio, além de ser a base da tomada de decisões acertadas, garantindo o crescimento da empresa.

Mas, muitos gestores ainda têm dúvidas de como controlar adequadamente as finanças do seu empreendimento.

Por isso, neste post, vamos te dar dicas importantes de como organizar as finanças da sua pessoa jurídica, para que você melhore a gestão do seu negócio. São ações práticas que você pode iniciar hoje mesmo, a fim de estruturar de forma correta o caixa da sua micro ou pequena empresa. Confira!

Como fazer a organização financeira empresarial

Não misturar as contas

Esse é o erro mais comum de um microempreendedor: misturar as contas pessoais com as contas da empresa, o que pode causar sérios desequilíbrios no caixa. Portanto, a regra número 1 quando o assunto é organização financeira empresarial é não confundir o lucro do seu negócio com o seu lucro como dono.

Isso porque a rentabilidade da empresa deve ser empregada para diversos fins, como fazer investimentos, utilizar como capital de giro e arcar com as despesas da folha de pagamento. Já o dinheiro que você ganha como empresário tem a finalidade de pagar os seus gastos pessoais.

Por essa razão, uma prática que deve ser implementada é a definição de um valor para o pró-labore, que é o nome dado a essa retirada fixa que o empreendedor faz do caixa da sua empresa.

É uma atitude simples, mas que evita buracos no caixa e brigas entre os sócios. Ressaltamos que o seu pró-labore precisa ser aderente à realidade da sua microempresa, para que as obrigações financeiras do negócio não fiquem comprometidas. Outra atitude importante é ter contas bancárias separadas, ou seja, uma conta para sua pessoa física (CPF) e outra para sua pessoa jurídica (CNPJ).

Definir gastos em ordem de prioridade

Caso a sua empresa tenha dívidas, você precisa priorizar os pagamentos que possuem maior taxa de juros, para que seu lucro não seja todo gasto com esse tipo de despesa.

Procure considerar trocar uma dívida mais cara por outra mais barata, o que pode representar uma grande economia para o caixa do seu negócio. Muitas vezes, a falta de organização acaba gerando despesas desnecessárias com multas por atraso. Então, não deixe de controlar todos os seus boletos pelas datas de pagamento. Pense em investir em uma plataforma simples e eficiente para te ajudar nesse controle de títulos a pagar.

Estar sempre atualizado

Você precisa conhecer o que os seus clientes querem para poder oferecer produtos conforme a demanda. Realizar boas compras, nas quantidades adequadas e em conformidade com a saída dos seus produtos, é fundamental para evitar que falte dinheiro no caixa da sua empresa. Para isso, você deve estar sempre atualizado nas tendências do seu mercado de atuação. Pesquise, mantenha-se informado, estude o seu consumidor. Dessa forma, você faz não só boas compras com seus fornecedores, como também boas vendas para seus clientes.

Evitar gastos desnecessários

Caso você não faça um controle frequente das entradas e saídas do seu estoque, bem como a contagem desses produtos periodicamente, nosso conselho é que adote essa prática o quanto antes. Afinal de contas, não tem como saber o giro dos seus produtos sem que um inventário seja feito. O prejuízo pode acontecer de duas formas na sua empresa, quando você não sabe o que tem no estoque.

Estoque acumulado é dinheiro parado. E dinheiro parado é prejuízo, pois esses recursos poderiam estar aplicados em investimentos, proporcionando uma renda extra para o seu negócio. Se o caixa da empresa está no vermelho, o prejuízo é ainda maior, pois você está arcando com o pagamento de juros enquanto tem capital parado em forma de estoque.

Outro tipo de prejuízo pela falta de inventário é só saber que não tem o produto disponível depois que a venda foi feita. Isso prejudica a credibilidade do seu negócio perante o seu cliente. Deu para entender que fazer uma má gestão de estoque é exatamente o mesmo que fazer uma má gestão dos recursos financeiros da sua microempresa. Portanto, preste atenção para evitar gastos desnecessários com mercadorias paradas.

Mão de obra sem qualificação

Hoje em dia, mais do que comprar um produto ou serviço, o consumidor dá valor para a experiência que a empresa proporciona para ele. Por essa razão, o atendimento da sua empresa deve ser impecável. E uma empresa é feita de pessoas. Esse é o capital mais valioso de qualquer negócio, pois são os seus empregados que servem como cartão de visita do seu empreendimento.

Contratar mão de obra sem qualificação pode impactar diretamente no seu faturamento, pois o trabalho ineficiente ocasiona perda de oportunidades de negócios. E, se conquistar a confiança de um cliente já não é tarefa fácil, reconquistá-la depois de um atendimento mau feito é mais difícil ainda, pode acreditar!

Usar tecnologia como aliada

Investir em tecnologia trará retorno financeiro para sua empresa. Afinal, uma boa plataforma para auxiliar a tarefa de gestão das finanças evita que você atrase as contas, pagando multas e juros desnecessários.

Além disso, você otimizará seu tempo para focar em atividades mais estratégicas, que tenham maior valor agregado para a sua microempresa.

Eliminar ao máximo processos manuais impacta diretamente na redução dos índices de erros e do aumento da produtividade, tornando os dados financeiros mais confiáveis e seguros. Para maximizar a sua economia de tempo, vale a pena conferir a Tilix Business, uma plataforma que concentra a gestão de todos os seus boletos em um só lugar.

Como você pode ver, uma boa organização financeira empresarial é fundamental para alavancar os negócios, conseguindo bons resultados. Sem um controle adequado do caixa do seu negócio, você coloca a saúde das finanças da sua microempresa em risco e o resultado pode ser ter que fechar as portas.

Por outro lado, o empreendedor que investe em boas práticas de gestão financeira fica muito mais próximo de ser um empresário de sucesso.

Quer ter acesso a mais conteúdos exclusivos sobre gestão financeira e empresarial? É muito fácil! Assine a nossa newsletter para receber tudo diretamente na sua caixa de entrada.

5 dicas de como organizar as contas a pagar de modo eficiente!

Saber como organizar as contas a pagar é necessário para que você consiga fazer as suas atividades do dia a dia de uma maneira mais eficiente. Além disso, o controle das finanças também é fundamental para que você evite problemas referentes à inadimplência e gastos com juros.

Por isso, neste post, vamos te explicar quais as melhores estratégias para controlar o pagamento das suas despesas, além de te contar como a tecnologia pode ser uma grande aliada na gestão de contas e pagamentos de boletos.

Abaixo, conheça 5 dicas práticas de como ter suas contas a pagar devidamente organizadas.

Como organizar as contas a pagar

1. Criar uma lista em ordem de urgência

Se você possui algum tipo de dívida, procure priorizar o pagamento das que tenham taxas de juros mais altas, como o cheque especial do banco e o rotativo do cartão de crédito, que é quando você não consegue pagar toda a fatura. Ao escolher quitar esse tipo de dívida, você estará economizando os custos com os juros.

Assim, sobrará mais dinheiro para arcar com as suas outras despesas. Caso você não tenha dívidas, analise se existe algum desconto para pagamento antecipado das suas compras.

2. Conhecer o fluxo de caixa com entradas e saídas de recursos

Não tem como manter as finanças organizadas se você não conhece o que entra e sai da sua conta. Por essa razão, é fundamental fazer o mapeamento de todas as receitas e despesas do seu orçamento. Com esse controle, você será capaz de equilibrar os seus recursos e manter todas as contas em dia, gastando menos do que você ganha.

3. Estar atento aos prazos para evitar pagamento de juros

Atrasar o pagamento de uma conta simplesmente porque você esqueceu é desperdiçar dinheiro. Afinal, você terá que desembolsar um valor com as multas e juros única e exclusivamente por causa da sua falta de organização. Portanto, esteja sempre atento aos prazos de pagamento para fugir desse tipo de prejuízo desnecessário.

4. Criar lembretes

Hoje em dia, sabemos que todo mundo tem a vida corrida. Por isso, não dá para confiar somente na sua memória para lembrar se de todas as contas que você tem para pagar ao longo do mês. Então, recomendamos que você tenha alguma forma de criar lembretes para não se esquecer das despesas no dia do vencimento delas.

5. Utilizar a tecnologia como auxílio

A tecnologia é uma grande aliada para todas essas boas práticas que citamos. Existem plataformas muito simples e intuitivas, voltadas até mesmo para quem não tem muita intimidade com a internet. Por meio desse tipo de aplicativo, você consegue configurar todos os boletos que tem para pagar por ordem de vencimento.

Além disso, as novas tecnologias online facilitam a quitação dos boletos, evitando que você tenha gastos extras com multas e juros ou qualquer outro transtorno por causa de atrasos.

Com essas 5 dicas simples de como organizar as contas a pagar, você terá sucesso nessa tarefa e ainda vai sobrar tempo para focar no que realmente importa: os momentos da vida que são importantes para você.

Quer mais dicas sobre finanças? Então siga as páginas da Tilix nas redes sociais. Estamos no Instagram, Facebook e LinkedIn.